domingo, 16 de março de 2008

Caça aos piratas no Japão

Sou um pirata declarado, e dum apetite insaciável, certa vez consegui a proeza de lotar por completo um HD de 120 gigas em menos de 2 meses com arquivos de todo tipo, cores, sabores e tamanhos que se possa imaginar. E depois que me teleportei para este fim de mundo, "downlodear" arquivos se tornou uma necessidade quase vital, assim como respirar ou se alimentar. Se tornou um vício selvagem e totalmente incontrolável. Por isso, assim que botei os olhos neste artigo do jornal Yomiuri fiquei realmente apreensivo.
Em resumo a matéria informa que as quatro maiores organizações de provedores de internet japonesas planejam encerrar a conta de usuários que forem flagrados utilizando programas de compartilhamento de arquivos como por exemplo o emule, azureus e o japonês winny.
Ao que tudo indica esta operação anti-pirataria deverá ter seu início já em abril próximo, quando os provedores de internet ao detectar um cliente infrator, primeiramente irão alertá-lo via email a respeito da transgressão e em caso de reincidência poderão suspender ou cancelar em definitivo a sua conta de acesso a internet.
Não sei até que ponto terão sucesso neste empreendimento, é muita gente para ser fiscalizada, segundo esse mesmo artigo são estimados 1.75 milhões de usuários de softwares de compartilhamento online de arquivos. Vai dar um trabalhão daqueles.
Mas como em todas as fontes de informação sobre este assunto que encontrei até agora é sempre especificado de forma categórica que serão fiscalizados "file-sharing programs" e mais nada. Fiquei a pensar cá com meus botões em contratar um serviço de usenet como este, afinal velhos hábitos são difíceis e em certos casos especiais pode-se considerar como impossíveis de se abandonar...
Veja uma demonstração desta interessante tecnologia de tranferência de dados neste vídeo:



E se além desta taxa de transferência absurdamente fantástica, tudo que esta empresa informa sobre privacidade e anonimato forem verdadeiras, com absoluta certeza me tornarei cliente deles...

Hoje (23/03) a Folha publicou uma nota a respeito também...

Nenhum comentário: