quarta-feira, 6 de agosto de 2008

A gostosona...

Ela era a gostosona.
Ela era a boazuda.
Ela era a imperatriz, rainha e princesa.
Para aonde quer que desfilasse,
seja pelos sinuosos corredores ou salões do Butantã,
um tapete vermelho estendia-se.
Kachos, butchos, shains, peões e sem dúvida nenhuma,
um conhecido liderzinho zé ruela,
lhe eram todos servos fiéis.
Ao rufar de seus passos majestosos
e ao sensual feitiço de sua presença real,
todo o Butantã solenemente se curvava.
Bela morena, vaidosa mestiça de olhos puxados e sorrisos mulatos.
Insensível mulher que namorava a atenção de todos os homens
as expensas da distração de um.
Foi se há muito... Há muito tempo...
Deixou a ilhota de vez
e revoou-se para um canto lá na terrinha.
E deixou todos para trás,
a tristemente balançar suas cabeças,
as de cima e as de baixo...
No ar ainda respiro,
a sereiosa fragrância de seu perfume...
E ainda ouço,
a sussurrar pelos vastos galpões do Butantã,
suas loucas histórias de loucos amores que insistem em se revelar...

Nenhum comentário: