quinta-feira, 27 de novembro de 2008

Yatta!!!!!! I found a job...

Não sabia se chorava ou ria. Lia os escassos anúncios de emprego em jornais, revistas, ligava e nada... Fonava os amigos, ex-colegas, conhecidos e a situação era a mesma: ou estavam cumprindo aviso prévio, ou prestes a serem cortados, ou temiam por isso num futuro não tão distante, vagas então nem pensar. Aê, como já tinha esgotado os anúncios atuais, já meio desesperançado, catei uma revista velha da Alternativa, edição de fevereiro, quando a situação ainda estava boa. Vasculhei-a de cabo a rabo, liguei, liguei e liguei e também não consegui muita coisa boa, aliás não tinha quase nada... Parecia que de repente tinha aterrisado num campo desmatado ou num inóspido deserto africano, olhava ao redor e não via qualquer coisa que prestasse no meu campo visual. Uma década aqui e nunca, nem nos meus pesadelos mais bizarros, imaginei que as coisas ficassem tão ruins assim. E não tô fazendo drama. O troço tá feio mesmo. Até shain teme fazer parte da degola na fábrica que estou saindo.
Mas eis que já estava prestes a zarpar para Chiba, trabalhar em linhas de trem (serviço bruto, feroiz, pesado, mas que ainda paga razoavelmente bem), quando uma amiga tantousha conseguiu cavar uma vaga pra mim num bentoya em Kobe. Sem horas extras, 7 horas diárias, semana de 6 noites. Apartamento individual próximo da fábrica. O interessante é que já estava procurando um emprego com carga horária semelhante a tempos e nunca lograva encontrar. Pelo menos, nunca nesta combinação interessante. Agora é aproveitar bem o puta tempo que vai sobrar para alguns projetos pessoais, frequentar regularmente uma boa academia de musculação, ler muitos livros, assistir trocentos filmes, episódios de seriados, velejar a toa na net e o mais importante, não precisarei viajar para o brasil e despender da bufunfa tão suadamente economizada para um ano ou mais de vadiagem por lá. Tenho planos para retornar, mas é coisa de uns cinco ou mais anos pela frente, ganhando bem ou mal, mantenho por ora a resolução de ficar por aqui na ilhota, nem que seja para ficar matando o tempo.
Sinto uma enorme pena de quem ainda depende disso aqui para sobreviver ou manter a família. É dureza. Tenho que me dar por muito afortunado pela minha situação ser diferente. Posso ficar um ano ou mais numa colocação de ganho mínimo, bastando que a paga me custeie uma vidinha regrada, modesta e esperar tranquilamente a recessão econômica passar.
Tenho certeza absoluta de que tudo aqui ainda vai se normalizar. Daqui a quanto tempo? Sei lá. Não tenho a menor idéia, ninguém deve saber, mas que vai melhorar, vai, disso tenho absoluta certeza...
Enquanto a tormenta não passa, não desistam do seu sonho. GAMBATTE, dekasseguis!!!

4 comentários:

Hidemi disse...

fiko feliz por ter encontrado um emprego... as coisas estao dificeis mesmo...
eu estou rezando pras colicas e enjoos passarem, assim posso tentar um baito num bentoya ou qq lugar... soh o salario do meu marido, no teiji mal dah pra pagar as contas...
mas nao descarto a ideia de retornar ao brasil caso daniel tome kubi... nao seria de todo o mal tirar umas ferias no brasil e ter meu filhotinho junto da minha familia. mas temo nao ter como arcar com as despesas de um herdeiro no brasil... hospital, consultas, fraldas e etc, tudo eh muito caro por lah...
^^

Carlo disse...

Olá Hidemi, sinto uma grande tristeza por isto que esta passando. Tenho alguns colegas aqui que também estão passando dificuldades com a crise. Dependem bastante do Japão para sustentar a família.
Por sorte consegui encontrar serviço. O salário não vai ser grande coisa, não resolveria o problema de muito pai de família que esta no desemprego por exemplo. Tendo em vista o que me acostumei a gastar, não sobrará praticamente nada. Mas para mim ainda esta bom, o prejuízo maior seria ter de retornar ao brasil. Ficar parado e gastando o que demorei tanto para juntar.
Hidemi, por aqui fica uma torcida muito grande por ti, que suas dificuldades tenham um fim breve e que o seu filho nasça forte e muito saudável.

[]'s, Boa sorte...

Bah disse...

Opa, meus parabéns. Em época de crise, arrumar um emprego agora até que foi muita sorte né? Vai postando ai as novidades do seu trabalho novo!

Kisu!

ShigueS disse...

Oi Carlo! Parabéns pela conquista. Ando ouvindo cada história de deixar os cabelos em pé. Essa onda de cortes não tem previsão para parar. O pior é que se você perde o emprego, não se sabe quando conseguirá outro. Não é mesmo?
Deve ser super trabalhoso ter que mudar assim de repente de cidade, mas pelo menos você vai deixar Izumolândia para conhecer Kobe, que é uma cidade muito bonita, cheia de pontos turísticos. Boa sorte na empreitada e continue nos deixando atualizados!