quarta-feira, 7 de janeiro de 2009

Preocupante, muito...

Se você é funcionário de empreiteira (haken kaisha), o que é o caso de 99% dos brasileiros aqui no Japão, leia atentamente este trecho duma postagem deste forum. Não sei qual é a fonte original, creio que seja do jornal IPC.

... " Desde 2006, as fábricas só podem manter contrato com uma empreteira por no máximo 3 anos, ressalta Márcio Nakamura, diretor da Sigma Feliz localizada na província de Gunma. A agência é uma subsidiária da Sigma Tec, uma das maiores empresas do país nesse ramo.
Ele afirma que os primeiros reflexos dessa mudança serçao sentidos a partir de 1 março de 2009, quando o prazo determinado anos atrás expira pela primeira vez. Ou seja, em vez de contratar mão-de-obra pelo sistema haken- que consiste em terceirizar o recrutamento desses trabalhadores-, as fábricas terçao de fazer a seleção dos operários e efetivá-los sozinha.
A segunda opção é contratar empreiteiras pelo esquema de produção. Isso significa que essas agências precisarão se aperfeiçoar adquirindo maquinário, matéria-prima e local próprio p; fazer tudo aquilo que até então ficava restrito às paredes das fábricas.
Tal tipo de contrato, chamado UKEOI, até possibilita que os intermediários coordenem um setor, equipe ou linha de montagem dentro de uma unidade industrial. Mas o trabalhador só pode receber ordens diretas de um responsável da agência. " Essa crise não é só por causa da situação dos Estados Unidos, é um adiantamento do que já aconteceria no ano que vem", acredita Nakamura. Ele ainda se arrisca a fazer uma previsão preocupante p/ 2009. " Acho que um terço dos brasileiros corre o risco de ficar desempregado."

ENTENDA A MUDANÇA
A contratação de mão-de-obra temporária era proibida nas linhas de produção até 2004, embora a determinação nem sempre fosse cumprida. Em 1 de março daquele ano, entrou em vigor a reforma da Lei de Trabalho por Contrato, que autorizou a entrada das empreiteiras no setor manufatureiro por até 1 ano (haken keyaku). Contudo, o gisoo ukeoi (contrato falso) passou a fazer parte do dia-a-dia de muitos trabalhadores. " Se as empreiteiras tivessem sido mais conscientes, nada disso teria acontecido", lamenta Nakamura. Márcio Nakamura garante que sua empresa já está avaliando formas de se adaptar às novas regras e não perder tanto espaço no mercado. Mas outros projetos em análise na esfera do legislativo, que endurecem ainda mais a legislação trabalhista, já assustam o segmento. " A oposição (Partido Democrático) estuda uma lei nova p/ 1 de abril de 2010. Eles querem proibir a atuação das empreiteiras na área de produção", destaca.


Se estas medidas forem de fato implementadas será mais um golpe duríssimo para nós, dekasseguis. Já não bastava a crise dos mercados.
E devem ser poucas empreiteiras que conseguem funcionar num sistema de ukeoi autentico. Mesmo empreiteiras com grande de número de funcionários empregados numa fábrica tem dificuldades para implementar este sistema de produção. Esta lei parece ter o propósito claro de exterminar de vez os haken kaishas...
Por outro lado, já vi de tudo aqui, peruano sem descendência trabalhar durante 5 anos sem visto e passaporte, trocentos filipinos e chineses ilegais.

E a situação duns haken shain japoneses também não esta fácil:

Nenhum comentário: