sábado, 28 de fevereiro de 2009

Ke movie!!!

Seguindo a recomendação do Emezeto, assisti hoje ao Slummdog Millionarie. Pô, que filmaço. Vallleeeeeeuuuuuu Emezeto!!!! Não sou assim tão cinéfilo, entendo pouca coisa da tal sétima arte, além de tomar um assento confortável e degustar os "movies". Mas esta foi a primeira vez que meu voto de curtição por um título encontrou sintonia com a escolha dos velhinhos da academia de Hollywood. A película realmente mereceu a eleição de "Best". O SM, realmente é uma história interessantíssima, divertida, tocante e bem bolada. Guarda algumas semelhanças com o "Cidade de Deus" por ter como pano de fundo um país-favela igualzinho ao nosso. E retratar a miséria, a violência, os lances espertos para sobreviver no terceiro mundo (cão), a corrupção, a brutalidade policial e vários outros aspectos tão presentes na nossa "salve-se, salve-se puder, verde-amarela pátria desalmada" naquele jeitão brutal e sanguinolento do filme brazuka. A analogia para aê.
Talvez pelo fato do SM ser pura obra de ficção e não ser baseado numa biografia como o Cidade de Deus, seja mais poético, meio açucarado, mais literariamente rico e portanto muito improvável de acontecer na vida real. Aliás, improvável mesmo. Corro o risco de parecer politicamente incorreto ao mencionar isto. Mas tenho conhecimento de causa. Nestes longos anos de Japão travei (por obrigação) bastante contato com favelados nikeis (grande parte da comunidade brasileira aqui), portanto conheço um pouco a mentalidade deste povo. Até pode ser estereotipação da minha parte, mas uma (grande) parcela deles são de fato como o policial que interroga Jamal define: mentirosos, ignorantes, iletrados e espertinhos. Viver num meio ambiente um tanto difícil e cruel parecem ter a propriedade de moldar a personalidade do indivíduo. Alguns necessitam duma espécie de algoritmo diferenciado para sobreviver ao mundo-cão, que por vezes as distanciam dos princípios básicos da ética e da moral. Raciocinando estreitamente desta forma, pessoas de caráter e classudas como o protagonista Jamal, de origem favelal, só podem mesmo ser fruto de uma boa obra de ficção.
Mas em resumo, que filmão!!! Gostei dos trejeitos de Cidade de Deus em alguns momentos, da trajetória dos dois manos, da ideia viajante de relacionar as perguntas aos momentos da biografia de Jamal, do roteiro (embora meio açucarado) e da visão bastante realística da Índia sem romantismo ou panfletagem turística.

3 comentários:

Bah disse...

Alguns favelados nikkeis hahaahahha mnto boa essa... Nossa, cada cidadao que eu conheci aqui no Japao Carlo... Eu que sou de SP e estava acostumada a ver gente MTO bizarra nos metros e busoes da cidade, aqui bate... as vezes eu olho algumas pessoas e penso: como eh que essa pessoa conseguiu sequer entrar no Japao? Tem uma tiazinha que tem a cara do Russo (aquele da Globo) rs eh feia q dah doh, e fica no Apita aqui do lado de casa todos os dias, vagando, sentada num canto... Meu, parece que a tiazinha nao toma banho ou nao fala ha anos... cada gente esquisita rs...

Kisu

kurati disse...

Esse povo nikey favelado daqui,se traveste de malandro e badboy ,vamos ver se eles tem a coragem de fazer isso nas suas favelas de origem.Esse filme parece mesmo ser muito bom,embora eu estaja cansado das pobrezas nos filmes!!!!!

kurati disse...

Pior que esses nikkeys favelados,se travestem de malandro aqui,e quando chegam na sua favela de origem ,voltam a ser o que eram.Quanto ao filme,parece ser mesmo interessante,e vai bombar agora que recebeu tantas premiacoes!!!