domingo, 6 de dezembro de 2009

A epopéia continua...

Já escutei muito aquele velho ditado afirmando que alegria de pobre dura pouco. Devo ser um completo indigente miserável então, porque mal completei dois meses neste último trampo e o bentoya resolveu de forma unilateral e repentinamente, encerrar o contrato com a empreiteira na qual estou empregado. É a administração da bagaça sedenta em diminuir mais custos ainda, além do corte de pessoal que houve recentemente.
Pior é que o destino me pegou de calças arriadas outra vez. Pelo que me consta isto só deveria acontecer no início de 2011. Arre…
Desta forma acabei sendo "convidado" a participar do mesmo tipo de acerto que me fez desistir do emprego anterior: o degradante contrato direto no sistema de "part-time", sem nenhuma garantia de estabilidade, moradia por conta própria e pagamento integral de todos os impostos previstos na legislação trabalhista. E para completar a desgraçeira, redução no valor do salário/hora. Um belo de um chute nas minhas bolas já tão castigadas… Labutar tão duramente pelo pouco vil metal que virá, não vale a pena. Ganhar só o suficiente para a comida não é o bastante para mim. E a diversão, a arte e as tranqueiras tecnológicas que estava acostumado a queimar a grana? ;-)
Já fiz uma pesquisa básica por outras paragens, mas só senti cheiro de coisa provisória.
Tipo contratinho temporário de uns poucos meses, e depois se a fábrica não precisar mais, sayonara peão… Feroiz. Dekassegui hoje em dia parece gato em teto de zinco quente, tem que ficar saltitando de um lugar para outro senão queima as patinhas, não tem lugar perene para fincar a barraca nestas bandas orientais. A não ser que seja um cara abnegado e se contente em suar horrores só para o sustento pessoal.

Fico refletindo nesta frase filosófica que Bah colocou num post: "Quando as mudanças precisam acontecer, elas acontecem, com ou sem a sua permissão e temos que nos adaptar ou seremos prejudicados pela resistência."
Pois é… E fico a refletir se não estou cometendo uma tremenda tolice em ficar perseverando nesta porcaria de situação econômica. Talvez seja o caso de mudar de mala, cuia e iMac de volta para o ban…, ops! terrinha...

2 comentários:

Xaum disse...

kkkk... É bananão mesmo meu caro. Uns meses atrás, eu postei que faria minha parte e tentaria viver aqui, da forma como eu vivia ae, ou seja politicamente correto.

Então, passado um certo tempo deste post, continuo com a mesma postura, mais confesso que quase dei um maldito jeitinho brasileiro algumas vezes.

Bah disse...

Carlitcho, sua situação ai está cada vez mais resistente rsss . Entendo a sua cabeça de tentar perserverar por essas bandas, mas dance conforme a música. Se tua intuição diz pra ficar ai, então acompanhe o ritmo e tome todas as consequência, não reme contra a maré. Se começar a duvidar, seria melhor rever os objetivos. Ficar num lugar só por causa da insistência, te levará a outros objetivos...

Kisu!