quinta-feira, 30 de abril de 2009

Não percam!!!

O japonês campeão mundial de masturbação Masanobu Sato, defende seu título no próximo sábado na anual olimpíada do sexo solitário, Masturbate-a-thon em São Francisco (USA). Além de ostentar o título de campeão, o japa é recordista mundial. Na disputa do ano passado ele se manteve "duro" na disputa por nada menos que 9 horas e 33 minutos. Pode parecer muito, mas o esforçado "atleta" esta bastante otimista com a possibilidade de quebrar novamente o tal recorde na competição deste ano...

O interessante é que o equipamento utilizado na disputa, chamado de Tenga, é mais uma daquelas exóticas invenções japonesas que acabam fazendo sucesso e se espalham pelo mundo, cujo intrincado e "prazeiroso" funcionamento você pode conferir neste vídeo explicativo:




É um brinquedinho relativamente barato. Pesquisando na internet você encontrará os tipos mais básicos por algo entre uns ¥1.500~¥2.000. No site da empresa você pode pesquisar os vários modelos disponíveis no mercado.

Deve funcionar bem o treco...
Observem a cara de felicidade do "Mãosanobu" disputando "cabeça-a-cabeça" com o também japonês, Norihiro Taneichi, o prestigioso título mundial na categoria "masturbação por tempo de duração" do ano passado.


Segundo Massanobu, o sucesso para ser campeão é praticar, praticar e praticar. Constantemente praticar. Praticar bastante.
Pois é... Pelo físico dele, dá para se notar que ele certamente pratica muito, muito mesmo.

domingo, 26 de abril de 2009

Retornando...

Saiu no "The New York Times":

...at least 100 workers and their families have agreed to leave, Japanese officials said.

...pelo menos 100 trabalhadores e suas famílias já concordaram em retornar, segundo autoridades japonesas.

Parece que já temos os primeiros casos de compatriotas aceitando os ¥300.000 do governo japonês para retornar de vez.

quarta-feira, 22 de abril de 2009

Cuecas anti-gases...



Uma boa notícia para aquelas pessoas com problemas crônicos de emissão de gases intestinais, o popular "pum". Uma empresa japonesa chamada Inodore desenvolveu uma linha de cuecas e calcinhas cujo tecido é composto por fibras sintéticas que absorvem aquele pestilento odor emitido naquele tal momento mágico. Por pelo menos 30 segundos. Tempo suficiente para dar aquela disfarçada clássica e sair de cena rapidinho para um lugar mais "arejado".
Cuecões custam a bagatela de 4800円, já as calcinhas 5800円. Entretanto, o revolucionário produto não resolve o problema do inoportuno estrondo que costuma acompanhar o tal fenômeno biológico... Coisa que não duvido muito, logo, logo, será resolvido por algum criativo professor Pardal japonês.

Via Asahi Shinbum (em japonês)

terça-feira, 21 de abril de 2009

A mulher japonesa é braba...

Braba por demais da conta...





Daí os japas apreciarem tanto esses trecos aê:

sábado, 18 de abril de 2009

O desabafo da Eiko...

É lamentável, mas não deixa de ser previsível algumas atitudes desprezíveis da banda pobre da nossa comunidade. São aquelas pessoas que nesta crise estão indo embora e não pensam mais em retornar. E ai se veem livres para aprontar o que bem entendem...
Leiam o seguinte depoimento de uma participante do "Brasileiros no Japão".


Bom dia! Aquí vai um desabafo. Ontem, tive a resposta negativa de uma concessionária de carros sobre financiamento de carro p/ um cliente. Por causa de alguns BRASILEIROS IRRESPONSÁVEIS, agora é discriminado na hora de financiar qualquer coisa. Antes um outro brasileiro que tivesse VISTO PERMANENTE poderia ser Fiador e OK. Agora estão exigindo que tenha a NACIONALIDADE JAPONESA. Isso pq. muitos saíram do país deixando p/ trás, carros e casas financiados sem dar sequer uma explicação. Soube que há muitos carros abandonados nos estacionamento dos aeroportos e até casas abandonadas. Assim sendo na cabeça dos japoneses pensam que se for japoneses não tem p/ onde fugir. Portanto quem estiver pensando em comprar um carro financiado esqueçam. É a triste realidade p/ os que permaneceram por aquí. Demorará algum tempo até que as coisas voltem ao que era antes. É muito triste, mas é necessário reconhecer que isso é a falta de educação do nosso povo antes de tudo. INFELIZMENTE!

É a tal “lei de Gérson” básica: obter vantagem pessoal mesmo que isso comprometa a coletividade, a paz do "próximo", o crédito que o "próximo" poderia conseguir se o espertinho pagasse suas dívidas corretamente. É fácil perceber que comunidades muito maiores que a nossa, como por exemplo a chinesa e a coreana não causam tantos transtornos como a brasileira. Só para ter uma ideia, somos 1/3 da comunidade chinesa, porém temos 3x mais compatriotas atrás das grades. Dá-me uma certa impressão que teremos o mesmo destino dos iraquianos/iranianos que antigamente aportavam aos bandos no arquipélago (dekasseguis como nós) e tanto fizeram (de ruim) que foram repatriados em definitivo e agora só uns poucos existem, mas habitando lá no sistema prisional japonês...

quinta-feira, 16 de abril de 2009

Comerciais japoneses

Na minha humilde opinião, grande parte dos comerciais japoneses pecam pela falta de originalidade e humor. São chatos e bastante previsíveis. Vez ou outra surgem algumas belas surpresas despontando da modorrenta mesmice publicitária nipônica.
Olha só a sacada do publicitário em criar este comercial de mug chá, conhecido pelas suas propriedades medicinais em aliviar a pressão alta (hipertensão arterial).


"Na maioria das vezes a pressão alta não salvará sua vida". É o mote da campanha.

Outro comercial que fez bastante sucesso e vendeu caixinhas de leite como nunca:













Mentira. Não é um comercial de laticínios, é um vídeo para promover... Sei lá o que... Não entendi nada.

domingo, 12 de abril de 2009

Playboyzada na Balada

Neste vídeo o repórter Elcio Coronato vai até uma balada da playboyzada descobrir quanto eles estão gastando no país que tem um salário mínimo de 465 reais.

Percebe-se facilmente incontáveis absurdos no decorrer da reportagem. Fiquei mesmo de cara com o acinte do playbosta em rasgar uma nota de cem reais bem na frente da câmera. Como todo mundo informado lá no planeta brasilis, deve ter conhecimento que é crime destruir dinheiro nacional. Mas o sujeito não deve estar nem aê. Com a grana que seguramente deve possuir sabe que se algo lhe acontecer, bastará molhar a mão dum juiz com umas tantas verdinhas para escapar da justiça nada cega para os privilégios dos bem nascidos tupiniquinins.

sábado, 11 de abril de 2009

Densha Otoko


Sob o ponto de vista dum geek, a estória do filme é até interessante. O roteiro é baseado em fatos reais. Um certo dia, um certo otaku toquiano salva uma elegante office lady do ataque de um bêbado no trem. Grata pela ajuda, ela consegue seu endereço e envia um caríssimo presente ao tímido herói. Juntamente com o número de seu telefone para futuro contato. Mas o otaku não acredita que um possível relacionamento com a moça seja possível. E pior, não tem nem a menor idéia (e brios) de como convidá-la para sair. Pelo fato de nunca ter saído com uma garota antes. De qualquer maneira, sem qualquer opção de consulta á vista, tenta resolver suas dúvidas nerdianamente através do maior fórum japonês, o manjadérrimo (no Japão) 2ch, sob o nick "Densha Otoko" (o cara do trem). Para sua surpresa uma verdadeira corrente de solidariedade se formou, um montão de camaradas virtuais dos mais variados tipos partiram em seu socorro. (Nem perco tempo especulando se isto poderia acontecer no Orkut, assim como não fico mais esperando presentes do papai Noel.) E desta forma, com o apoio moral e opiniões de centenas de anônimos, nosso herói decide partir para a hercúlea tarefa de conquistar o grande amor de sua vida.

Costumo passar bem longe de comédias românticas, odeio o gênero com todas a forças da minha alma, mas até que gostei do filme. O personagem principal pode parecer meio caricata, cheio de maneirismos esquisitos e irritantes, mas pelo que conheço duns otakus japas, não ficou assim tão descaracterizado da realidade. É certo que tem algumas inconsistências na estória. Por exemplo, um hikikomori dando palpites a respeito de relacionamentos é um troço muito viajante. E o filme força a barra quando tenta mostrar que a trajetória do protagonista influência por demais o comportamento dos envolvidos nas postagens do fórum.
É um típico filme pipoca japonês, leve e divertido de assistir. Excelente para aprender nihongo, já que os diálogos são bastante simples e previsíveis. E descobrir a Miki Nakatani foi um verdadeiro achado. A atriz é pura elegância e beleza. Me tornei um fã apaixonado. Se encarnasse o Densha Otoko, com certeza estaria lá me sacrificando pela donzela, menos recomendar que ela comprasse a droga dum notebook Vaio. Por mim seria um belo macbook, para ela se apaixonar de vez por mim... ;-)
A coisa toda existiu mesmo. A prova do crime esta todinha registrada AQUI, infelizmente só em nihongo.

quarta-feira, 8 de abril de 2009

Minha rua...

São "Google Maps", nem preciso comprar câmera digital para mostrar o pedaço de chão que piso todo santo dia.
Pena que o carro do Google Street View não passou na frente do meu prédio...


Exibir mapa ampliado


Infelizmente passou bem na frente do bentoya... :-p


Exibir mapa ampliado

Até que estou bem localizado. Estação de trem no ladinho, kombini, Tsutaya (locadora de vídeo), super-mercado, home center, restaurantes e é claro, os indefectíveis pachinkos e outras "cositas" mas... Tudo na mão (menos a tal da ¥bunfa$).
E de quebra, levo só uns 7 minutinhos para chegar ao trampo de bike. Que paraíso, não?

segunda-feira, 6 de abril de 2009

"Shiruba Bahku"

Tem muito rapper no Japão. Com sangue gangsta bombando no coração só mesmo o "Shiruba Bahku" (Silver Buck). Também conhecido como BOSS GORILLA ou B.P.2011. Ele não é só pose de mau, ele é da "street".

O mano tem uma bio bem fodona. Era tão mau, mas tão mau, que nem os bosozukos, nem a yakuza suportaram seu tipão ardido como um wasabi cru.
E uma vez cuspido fora do submundo toquiano resolveu ficar famoso e exibir sua arte ao mundo na forma dum rap/reggae nervosão assim:



Segundo ele Tóquio não é só uma cidade glamorosa, iluminada por belos neons. É um verdadeiro campo de batalha sanguinolento aonde gangues de yakuza se enfrentam por todo canto e a bala corre solta. E se você quiser sobreviver por lá tem que andar protegido com uma armadura medieval, armado até os dentes e coisa tal. Afê... HAHAHA... Parece até que a periferia é aqui. Continua falando/rapeando que um dia acredito no cê Shiruba Bahku.

Gostei também do CHOPSTICK&Chee. Um som mais elaborado e melodioso. Até merecia um post só pra eles, caprichadinho, mas como não tô com muito tempo, vai emendado neste mesmo. Muito locão o mix de reagge e hip-hop da dupla. Nesse clip a coisa fica animadona depois do primeiro minuto.
É o reggae do japa doidão.

quinta-feira, 2 de abril de 2009

A ajuda para voltar


"As associações de brasileiros disseram que a proibição de não voltar é discriminação."
Pura balela.
O pensamento dessas "associações" só refletem a típica mania folgada do brasileiro de querer tudo de graça, na mãozinha pedinte. Como se tudo na vida não tivesse um preço a se pagar.
A tal "comunidade" vivia reclamando a ajuda do governo. Esta ai a ajuda. Melhor do que nada. Melhor do que ter gente mendigando por ai. Passando fome e frio. Um bom negócio para o governo japonês que se livra dum grave problema social e melhor ainda para os dekasseguis incautos que foram pegos de calça curta por esta crise histórica e não tem meios nem para se alimentar direito. Tento, mas não consigo entender o que este povo quer... De um jeito ou de outro ficam ai a se queixar. Parece até que tem gente nestas associações que adora ficar bancando o bom samaritano só para se promover. E não o de efetivamente ajudar...
E para certas pessoas voltar pra quê? Conheço muito dekassegui que não esta preparado nem para mercado de trabalho brasileiro, quanto mais para o que se exigirá aqui no Japão, de agora em diante...