quarta-feira, 24 de junho de 2009

Embalagem de leite

A moda atual no Japão é projetar os trecos de uso diário da forma mais ecologicamente possível. Seguindo a risca este novo conceito, um designer nipônico projetou esta interessante embalagem de leite totalmente biodegradável.

É tirar a tampinha para ficar com uma vontade doida de tomar um leitinho fresco...



É tão fácil manuseá-la.


Seu formato é bastante compacto, se ajustando com facilidade em qualquer tipo de geladeira.

Desfazer desta embalagem é uma moleza.
Nada de ficar torcendo, amassando ou cortando aquelas embalagens de papelão duro que ainda assim ficam ocupando o maior espaço no lixo.
O genial inventor deste inovador produto ainda não recebeu nenhuma proposta oficial de uma empresa para a sua produção em massa.
Mas eu não perco as esperanças que o mercado acabe absorvendo esta magnifica ideia. Conta a favor o fato de que ultimamente os japas andam com uma fixação anormal por seios. Estes pudins por exemplo, fizeram o maior sucesso por aqui:


Já comi, gostei e recomendo.
E já vou avisando que apesar do pudim ser de leite, não adianta sugar que não vem leite.
Ugh. Eita piadinha infame...

segunda-feira, 22 de junho de 2009

Já viram este filme?


Traduzindo: "O samurai no banheiro".

E pensar que praticamente todo dia interpretamos este papel...

Takasugi-an

O chá é um elemento dos mais tradicionais na cultura e nos costumes japoneses. Tão importante que existe um centenário ritual artístico para produzí-lo, chamado sadôo ou chanoyu. Talvez inconformado com a agitação da vida moderna que não proporcione paz suficiente para o pleno exercício desta complexa e tão delicada arte, o arquiteto Terunobu Fujimori resolveu construir a mais alta casa de chá do Japão:



Esta inusitada e aparentemente frágil estrutura foi construída sobre dois troncos de pinheiros, usando principalmente materiais naturais como argila e bambu.

É bem compacta, mede aproximadamente 4 tatamis e meio no seu interior, mas ainda assim mais espaçosa que o quarto do meu micro apato.



O Fujimori-san escolheu um belo local para situá-la. Longe de tudo e todos, na companhia silenciosa das montanhas de Nagano-ken.



Sempre quis morar num lugar assim. Este desejo fica ainda mais fortalecido quando sou acordado as três horas da madrugada por um conterrâneo berrando ensandecidamente ao telefone. Por coisas assim que existindo a oportunidade de escolher meu endereço, evito locais aonde residem muitos latinos. Não quero parecer elitista, preconceituoso ou algo parecido, mas a realidade é que morar próximo de conterrâneos é quase sempre sinônimo de suportar inconvenientes irritantes tais como buzina de carro, TV ou música em alto volume, falatório aos berros, baderna, isto tudo, obviamente, no horário que der na telha do malaco fazê-lo. E por consequência destes fatos falhos de terceiros (brasileiros), ser discriminado por ações pelas quais que você não cometeu, mas que lhe será imputado por simplesmente compartilhar da nacionalidade de uns favelados tupiniquins. Viver no gueto verde-amarelo no Japão é uma desgraça. Isto para quem é minimamente civilizado e se importa com sua imagem, é claro.
É por estas e outras que resisto tanto á ideia de retornar ao bananão e ter de aturar a enojante inexistência de civilidade do nosso (bobo) alegre povo bananeiro, incapaz de respeitar até mesmo o simples e fundamental direito do seu vizinho ter uma noite de sono tranquila depois de um estafante dia de trabalho.

quinta-feira, 18 de junho de 2009

É mole???


Italiana que perdeu voo Air France morreu em acidente automobilístico.

Uma italiana que perdeu o voo 447 da Air France, que desapareceu no oceano Atlântico, acabou por morrer agora, num acidente de carro na Áustria.

Segundo avança o jornal inglês The Times, Johanna Ganthaler passou férias no Brasil com o marido e um atraso fez com que não conseguissem embarcar no voo 447, no Aeroporto Internacional António Carlos Jobim, no Rio de Janeiro.

Ganthaler e o marido, Kurt, acabaram por embarcar de volta à Europa apenas no dia seguinte.

No entanto, esta quinta-feira, a mulher acabou por perder a vida na estrada, sendo que o The Times não avança com informações precisas sobre a causa do acidente, nem sobre o horário exacto.

Segundo o jornal britânico, o carro em que os dois seguiam entrou na faixa contrária de uma auto-estrada em Kufstein, na Áustria, e bateu de frente com um camião.

Enquanto Kurt ficou gravemente ferido no acidente, a mulher, Johanna, acabou por falecer na sequência do mesmo, informou o The Times.


Catei daqui.

terça-feira, 16 de junho de 2009

Calorzão

Ás vezes dá até vontade de bancar aquele inglês maluco que mergulhou peladão no canal que circunda o palácio imperial em Tóquio.
Acho que esta imagem infeliz ficará gravada para o resto da vida na minha mente:



Ele ficou mais de horas brincando com a polícia japonesa:




Parecia que o Godzilla tinha baixado na área. O comportamento dos policiais neste incidente foi muito patético, para não dizer outra coisa. Parecia até que estavam lidando com um animal gigantesco e perigoso, e não com um bêbado qualquer.
Queria ver essa folga toda se fosse no brasil...

segunda-feira, 15 de junho de 2009

Fome...

Tripas, sangue humano, órgãos despedaçados, vísceras, tudo espalhado a esmo pelo galpão destruído do bentoya aonde até um par de semanas atrás estava labutando o pão nosso de cada dia. Sob a iluminação fosca proveniente da chama do fogão que improvisei como candeeiro observo o outro sobrevivente encostado na parede oposta, N..., chorando compulsivamente como um bebê abandonado.
- Não temos mais comida, vamos morrer de fome Carlo! E a gente tentou de tudo e não encontramos nenhuma forma de sair daqui.
- Calma N...! Desespero não vai levar em nada, vamos manter a calma. Vou tentar quebrar a parede da outra sala e...
- Já fizemos isso!!! Quantas tentativas frustadas serão necessárias, para se convencer que não adianta? Lembra da outra vez? Uma avalanche de entulho quase soterrou a gente. Não adianta. Vamos morrer!!!
- Isso N..., grite bem alto, gaste suas energias a toa e então não vamos mesmo conseguir escapar daqui. Respondi irritado.
Abandonei o gorducho lamuriando na outra sala e mais uma vez tentei divisar alguma saída no meio do breu. Frio. Muito frio. Escuridão. Bastava dar uns passos e sentia a sola do sapato pisotear óculos, pedregulhos, pedaços humanos. Mesmo assim tomei coragem e mergulhei na negritude sombria do ambiente, tateei e auscultei todas as paredes. Nada. Nenhuma brecha. Nenhum som. Nenhuma luz. Nenhuma esperança. Será que o mundo acabou lá fora? Desolado, retornei para a sala aonde estava o N.... Lá ficava a cozinha. E eu estava com fome. Muita fome.
- O que esta fazendo? Perguntou com voz trêmula, o meu companheiro chorão.
- Não esta vendo que estou assando carne?
- Carlo aonde você conseguiu? Porra!! É de gente!!!
Exclamou aterrorizado, enquanto saltava para trás.
- Meu caro, temos que comer algo se quisermos sobreviver até o resgate... Se é que vai haver algum.
- Tenho estômago fraco e ainda por cima sou evangélico, não posso comer de gente!!!
- Não seja fraco, olha só como a coxa da coreana é macia e suculenta. Acho que vou deixar o Hanchou por ultimo, a carne dele já parecia estragada quando vivo, imagina agora.
- É tanta tripa, sangue e banha... Não vou aguentar. Vou vomitar...
- Cê é mole demais! Temos que comer agora enquanto não apodrece, idiota.
- Não consigo. Não sou um animal desalmado como você. Jesus!!! Vou morrer.
Estava quase respondendo. Mas o meu desespero egoísta por sobreviver calou-me. só consegui pensar silenciosamente:
- Morra. Morra logo. Assim terei mais carne fresca para comer!

==============================================

Não é a toa que os Stephen Kings da vida ganham uma fortuna como escritores. É um amador qualquer tentar escrever contos de terror para surgir um troço bisonho como este...

sexta-feira, 12 de junho de 2009

Reportagem da NHK sobre brasileiros






A situação no Japão parou de piorar, mas ainda não esta apresentando qualquer sinal de melhora significativa. É triste ver tanta gente boa e esforçada sem trampo. E também é angustiante ser incapaz de fazer qualquer prognóstico para esta crise. De quando os dekasseguis poderão dar um suspiro de alívio e levar aquela vida ocupada, porém financeiramente satisfatória. Do jeito que esta agora, é cada um se segurar no seu barquinho do jeito que pode e aguardar a tormenta passar...

terça-feira, 9 de junho de 2009

Viciado em Bloxorz

Fazia tempo que não encontrava um joguinho em flash tão bom e viciante como este tal de Bloxorz. O objetivo é fazer o bloquinho cair dentro de um buraco numa plataforma suspensa. Para isto terá que escolher a sequencia correta de movimentos sobre a plataforma usando as teclas de setas. Parece fácil não? Mas depois da fase 20...

Tô a três dias empacado na fase 30. Ai, ai, ai...

Acesse o maledito aqui.

quinta-feira, 4 de junho de 2009

The Westler

Também conhecido lá na terrinha como "O Lutador". É fodão, espetacular, grandioso. Mickey Rourke detona!!! Na minha humilde opinião, o filme do ano. Estória insuportavelmente depressiva, dramática, angustiante ao extremo. Final trágico. De partir o coração da mais desalmada das almas. Não recomendo para qualquer um. Tem que ser forte para suportar o desenrolar de tanta tristeza e miséria humana. Veja por sua conta e risco. Só por precaução, evite assisti-lo numa dessas tardes chuvosas e cinzentas, tão comuns nestes dias...

terça-feira, 2 de junho de 2009

Ugh!!!

Tava meio chateado, curtindo mais um desses momentos merda que costumam me assombrar ultimamente, quando botei os olhos nesta reportagem sobre um pedreiro que caiu de uma altura de três andares e acabou atacado por um pitbull. Vai ter azar assim lá na pqp...

Daí cabei me lembrando da estória de um cidadão chinês que durante o recebimento de sexo oral da amante dentro dum carro, teve o pênis decepado quando o veículo foi abalroado na traseira por um caminhão. É que assustada com o choque, a garota cerrou impiedosamente as presas no "bráulio" do chinês e ai degolou o "vingador careca". O drama continuou no hospital, pois foi lá que houve o encontro fatal entre a matriz e a filial do cara. Barraco montado e desmontado, a matriz desgostosa com a traição conjugal, deixou de ser a matriz. E a filial ao perceber que o braúlio não mais retornaria para o lugar de sempre, desistiu de ser a nova matriz e ainda abandonou a posição de filial. Como o fundo do poço pode ás vezes ficar mais fundo em certos momentos da vida, o veículo era de propriedade da empresa em que o infeliz era funcionário, com o agravante de que na ocasião em que estava sendo utilizado como motel, era horário de expediente. Quando o patrão soube de tudo, foi implacável, concedeu-lhe um belo bilhete azul pela peraltice impensada. E assim, de uma hora para outra, como se o céu tivesse desabado sobre sua cabeça, o azarado chinês terminou sem esposa, amante, emprego e o mais cruel de tudo, sem pênis...

De boa, reconheço que ás vezes fico me queixando de coisas sem o menor sentido. Ás vezes até fazem. Mas é ficar sabendo dumas estórias assim que me apercebo como as coisas podem ficar muito piores, que o buraco pode estar mais embaixo ainda. Tô fodido e mal pago, mas até bem demais da conta se comparar com uns tipos ai...