quarta-feira, 19 de agosto de 2009

Que mêda!

Ele é tão aterrador quanto o bicho papão. E a possibilidade dele surgir amedronta. Pior que o anuncio derradeiro, que já esmaga totalmente qualquer esperança, é a eminência de sua visita. Qualquer probabilidade não vale um iene furado. Boatos se alastram como fogo no capim seco. O pânico se instala. Ele esta sedento por sangue. Ele é mauzão. Extremamente implacável. Não quer barganhar. Não quer uma parte, é tudo para ele. Não engulo isto muito bem. Aliás, tem muita coisa que não aceito. Mas isto? Não, não mesmo. Tenho recorrentes pesadelos com o bananão. Com zumbis favelados me assaltando. Com lajes, rebocos, lama e lixo. Desordem e atraso. Fome e miséria. Minha mente esta um caos. Durmo encolhido na cama. Sou mais um dekassegui sobrevivendo á crise dos mercados. "Ele" é o facão afiado que paira sobre o meu "kubi" indefeso.

sábado, 15 de agosto de 2009

Canção do Exílio - Paródia de um dekassegui

Minha terra tem políticos,
roubam ali, roubam acolá,
e o povo nada faz,
a não ser reelegê-los.

"Bispos" lá também existem,
muito mentem e enganam,
crentes fieis jamais descrentes,
que só sabem ofertar.

Tão distante eu estou,
ainda assim a fedentina,
do outro lado do planeta,
aqui na terra dos samurais,
muito se faz sentir.

Em cismar, sozinho, à noite,
nessa crise derradeira;
me entristeço a imaginar,
o que vou lá encontrar,
além de palmeiras e sabiás...

Não permita Deus que eu volte,
dekassegui trabalhador e honrado,
sem lá haver alguma ordem e progresso,
sem que os primores que aqui desfruto,
ao menos um pouco existam lá...


Uma paródia tosca da "Canção do Exílio" do Gonçalves Dias, só para espantar o pó neste blog meio largado...

terça-feira, 4 de agosto de 2009

Byôsoku 5 Centimeter

Ainda sobre o impacto de ter acabado de assisti-lo, o que posso dizer?
É um poema perfeito em forma de anime. Uma comovente estória sobre amor e distância (física ou emocional). Uma narrativa convincente sobre a dor sentida por não estar próximo da pessoa querida ou da incapacidade de declarar seus sentimentos a alguém que esteja ao lado.
5 centímetros por segundo. É a velocidade com que as pétalas de um sakura caem. Uma metáfora a respeito dos protagonistas, que iniciam um intenso relacionamento afetivo e com o tempo lentamente se distanciam, assim como as pétalas de um sakura espalhadas ao solo.

Shinkai Makoto é um artista excepcional. Tudo é muito bem talhado nesta fina obra de arte. Desde o roteiro bem escrito, trilha sonora, até o mínimo detalhamento de cada quadro, nota-se uma sensibilidade incomum. Não sei se algum dia ainda terei o prazer de assistir um anime tão excepcional quanto este...