terça-feira, 30 de março de 2010

Poema Necrológico

Viver no bananão não é assim tão ruim como imaginava. Você pena, passa raiva com a falta de eficiência no atendimento ao público, filas, morosidade, incompetência; mas aos poucos acaba levando tudo na esportiva. Meio que se resigna com o estado das coisas e passa a não se importar tanto. Outro dia fiquei quase horas numa agencia do BB tentando resolver um probleminha banal. Que talvez com um pouco de boa vontade e organização seria resolvido em minutinhos. Mas até fiquei de boa, nem me esquentei, e ainda aproveitei o tempo ocioso para escrever este poeminha bobo enquanto esperava ser finalmente atendido, e ter meu problema resolvido meia-boca:



Cartão na mão,
chegou a mesa de atendimento,
pela milésima vez,
no Banco do Bananão.

A bancária abjeta,
disse-lhe como sempre,
para esperar, esperar e esperar,
e se pôs a conversar,
as banalidades de sempre,
como sempre,
com a também abjeta colega do lado.

Ele esperou, esperou e esperou…
Esperou um bocado,
e ainda mais um pouco.
Mas nada se resolveu,
então com um esgar negrumoso,
meteu a mão na mochila,
e sacou friamente,
um trezoitão sinistro.

A bancária seguinte,
tão amável,
tão solícita,
atendeu-o como um lorde,
com rapidez tudo resolveu,
enquanto a tia da limpeza,
com destreza e firmeza,
esfregava o chão molhado,
com sangue e vísceras esparramadas.

Cartão na mão,
tratativa resolvida.
Finalmente, finalmente!!!
Um cliente satisfeito,
deixa a agência do BB na Liberdade,
com um sorriso estampado em seu rosto…


1, 2, 3!!! Eu até que rimei em alguns versos. ;-)

5 comentários:

andreia inoue disse...

que macabra carlo!
:/
deu ate medo,hahah!
abracao.

Patricia disse...

Já entrou no clima. hehehhe

Nicolas disse...

Fala, Carlo! Eu nem deveria me estressar com esses teus poemas e posts mórbidos, creio que deva ser de sua natureza mesmo.

Se resolveu com Bah? Espero que as coisas tenham se acalmado.

Nicolas disse...

Obs.: creio que meus coments vão cair drasticamente, ando dedicando pouco tempo a internet.

De modo que se precisar de recomendações para leitura, poemas e adendos, manda uns recados no metaforento e vou tentar responder sempre que possível.

Abraço, Carlo. Não entendo nada de ninguém no mundo oculto dos perfis de blogs, mas creio que a arte é a única experiência que se consegue compartilhar realmente, mesmo que seja apenas consigo mesmo. paradoxal isso...

Carlo disse...

A tia Bah é muito braba! Melhor eu deixar ela quietinha por lá. Na verdade nem sei direito o que postei no twitter para ela ficar zicada daquele jeito.
Mas tudo bem.
Vivendo em aprendendo.
Quanto a meus posts parecerem mórbidos, nem mesmo eu consigo entender. But, I am not insane!
[]'s