terça-feira, 20 de abril de 2010

Carlo, o leitor

Tenho lido, lido muito estes dias.
E cada vez que leio,
quero ler livros cada vez mais difíceis,
intransponíveis e de difícil compreensão.

Tanto leio,
que as palavras assumem cores vívidas,
odores ímpares,
formas múltiplas,
sons vibrantes.

Tanto leio que o tempo imutável se torna
e os segundos, minutos, horas, dias
e o calendário todo escapam sua significação...

Tanto leio que esqueço quem sou,
onde estou,
se estou ou se existo...

Tanto leio que mesmo estando aqui,
estou lá, bem longe daqui,
nem imagino que estou aqui,
cogito voltar para cá ou fico mesmo por lá...

2 comentários:

Lou disse...

É a maravilha de ler, a gente pode escolher pra onde vai, na hora em que quiser...
Beijo

Patricia disse...

Não dá para não ler, como já dizia slogan de certo jornal de grande circulação.

Eu adoro. Sempre tenho uns dois ou três na cabeceira. De gêneros completamente diferentes. rs.