sábado, 24 de abril de 2010

Florbela Espanca

Visões da Febre

Doente. Sinto-me com febre e com delírio
Enche-se o quarto de fantasmas
Uma visão desenha-se ante mim
Debruça-se de leve…

É uma mulher de sonho e suavidade
E disse-me baixinho:
“Eu me chamo Saudade,
E venho para levar-te o coração doente!

Não sofrerás mais; serás fria como o gelo;
Neste mundo de infâmia o que é que importa sê-lo
Nunca tu chorarás por tudo mais que vejas!”

E abriu-me o meu seio; tirou-me o coração
Despedaçado já sem uma palpitação,
Beijou-me e disse “Adeus!” E eu: “Bendita sejas!…”


Vulcões

Tudo é frio e gelado. O gume dum punhal
Não tem a lividez sinistra da montanha
Quando a noite a inunda dum manto sem igual
De neve branca e fria onde o luar se banha.

No entanto que fogo, que lavas, a montanha
Oculta no seu seio de lividez fatal!
Tudo é quente lá dentro…e que paixão tamanha
A fria neve envolve em seu vestido ideal!

No gelo da indiferença ocultam-se as paixões
Como no gelo frio do cume da montanha
Se oculta a lava quente do seio dos vulcões…

Assim quando eu te falo alegre, friamente,
Sem um tremor de voz, mal sabes tu que estranha
Paixão palpita e ruge em mim doida e fremente!



Descobri ao acaso as belas composições desta grandiosa poetisa portuguesa AQUI. Adorei!!! Apesar de ser fã de um estilo mais satírico a lá Gregório de Matos, ela realmente consegue transmitir sentimentos de uma forma que é impossível não emocionar-se.

6 comentários:

Xaum disse...

E Ae Carlito, Como estás ? Quero agradecer a mesnagem de apoio deixada em meu humilde espaço e tbém comentar este seu post.

Nunca liguei para poesias, nunca parei para prestar atenção. Como eu tenho hábito de passar por aqui em busca de boas leituras, tenho acompanhado seus ultimos posts com esta sacada poética.
Gostei deste ultimo post, me chamou a atenção a simplicidade das palavras.

Um grde abraço !

Alexandre Mauj Imamura Gonzalez disse...

Sonetos Completos, uma compilação da obra dela, feita por Guido Batelli é excelente.
Procure esse livro, Carlo.
Gosto também do Livro de Sóror Saudade.
Abraços!

Lou disse...

Adoro a Florbela Espanca, simplesmente adoro...
Beijos

Patricia disse...

Fala, Carlo! Eu não sabia que gostava tanto assim de poesia :D

Meu favorito é Drummond, não tem jeito, mas só as fases anti-líricas dele.

Nicolas disse...

Olá, Carlo.

Vou lhe dar um roteiro geral para baixar livros dessa poetisa:

http://www.spectrumgothic.com.br/literatura/autores/florbela.htm

Os livros nesse site são bastante corrigidos em relação à outros que encontrei net afora, além de ter livros em prosa o que é raro encontrar.

Nicolas disse...

Carlo, adiciona meu site na tua bloglist; mudei o endereço e pensei que ele ia atualizar tudo sozinho, mas não fez.

Só olhar no meu perfil; origamidepalavras.

Pergunta: como eu coloco a blog lista na margem direita superior do blog, como no seu?