sábado, 30 de outubro de 2010

Votar ou não votar

Esta deve ser a eleição mais chata que existiu. Salvo um milagre, a pseudo-guerrilheira, pseudo política, pseudo candidata, número 13, vai faturar a faixa presidencial do semi-analfabeto barbudo. O que se pode esperar de um povo que elege o Tiririca? De qualquer maneira o Serra também não anima muito. Aliás, para começar nenhum dos dois candidatos tem aparência saudável. Parecem aqueles personagens caricatos e doentes de um filme do Fellini. Nenhum é feliz. Nenhum tem carisma. Nenhum traz mensagens reais de renovação, de progresso, de sinceridade ética. Nenhum me faz querer levantar da cama para votar amanhã. Nem o último debate, que assisti quase cochilando, me animou a tomar partido. Foi um jogo retrancado de poucas emoções que acabou num empate broxante. De qualquer maneira, tenho uma certa simpatia pela biografia do 45, inspira certa competência. E só. Tenho um enorme asco pelo que a 13 representa e suas alianças com as figuras mais enlameadas da política nacional. Enfim, neste exato momento, minha indecisão é saber se voto no 45, ou pressiono a tecla branco. Ou faço melhor, passo o dia jogando pôquer online.

2 comentários:

radiotux2009 disse...

oi carlo,
pois é, a dilma também não é a minha candidata ideal, mas o oponente em 16 anos no poder em Sampa, pelo menos, governando o Estado mais rico da Federação, juntamente com a cidade mais rica do País, o PSDB, representado agora por José Serra, não conseguiu implementar uma política pública educacional eficaz, que colocasse o Estado de São Paulo como modelo para outros estados. 16 anos!!!
Realmente, Serra e PSDB tem longa experiência. Larga. Principalmente em São Paulo. E por isso que não votaria neste partido.
Bom não está. Há muito o que se fazer. Mas eu prefiro um governo que é aberto ao diálogo, principalmente com os movimentos sociais, do que aquele que bate e fecha a porta na cara, sem possibilidade de diálogo.As conquistas do governo Lula deixaram muito atrás as conquistas do governo FHC. Isso é um fato.
abraço
madoka

Patricia disse...

É triste votar nesse país. Ainda mais em segundo turno. A gente acaba votando no menos pior e isso é o fim da picada.