quarta-feira, 17 de novembro de 2010

Pensamentos funestos

Tenho às vezes a nítida impressão de que tudo o que surge no meu caminho são migalhas de um grande bolo, do qual as outras pessoas mais afortunadas se fartam com grandes fatias.
Estou tentando combater pensamentos assim, pois sei que isto é algo que me faz patinar na vida e não me causa felicidade. Merda! Tô passando por uma fase de depressão muito acima do que jamais tive de suportar. E já se fazem meses que estou congelado nesta droga de estado mental.

Meu racional aconselha esperar, ter calma, refletir melhor, antes de qualquer outra coisa. Que tudo isto é uma mera alteração de padrões neuroquímicos do meu organismo. Nada mais. Que o jeito é tocar o barco com paciência, continuar com meus remédios, ingerir menos álcool, alimentar-me direito, ser mais sadio. Principalmente não esperar milagres. Pois embora seja pessimista por natureza, tenho às vezes um certo pendor a alimentar grandes sonhos que se apagam como a chama de uma vela diante da mais leve brisa de dificuldade que surge pela frente. Preciso ser mais perseverante. Ter mais atitude, atirar a efemeridade no lixo e valorizar aquelas coisas que importam de verdade. Este é o caminho.

By the way, feliz aniversário para mim.

Um comentário:

Patricia disse...

Feliz aniversário, Carlo! Meu, também passei por uma fase bem funesta. Mas ó: estabeleci metas (REAIS) e estou conseguindo chegar lá. Sem sonhos de grandeza. Mas cada passo é uma alegria. Hoje olho para trás e vejo as questões que me afligiam nem um ano atrás e fico aliviada de ter persistido.