segunda-feira, 27 de dezembro de 2010

Adeus ano velho, feliz ano novo!

Tava pensando em usar estes dias mortos de final de ano para organizar o próximo, fazer um balanço geral, relembrar as coisas relevantes que aconteceram, aquela baboseira tradicional. Mas acho que vou fazer melhor, vou tomar um porre atrás do outro. E como não estarei em condições de postar algo aqui, estou aproveitando este momento de rara sobriedade e já vou adiantando um feliz ano novo para vocês! Nos encontramos em 2011, se o meu fígado não colapsar de vez.
Forte abraço!

sábado, 11 de dezembro de 2010

BENNIE K - Monochrome


BENNIE K - Monochrome

Monocromático

Eu nem pretendo
Pedir desculpas inúteis
Mas eu sei que
Não posso esperar para me satisfazer

Mas eu estou tentando voar
Tenho a sensação
De que posso me libertar algum dia
E eu quero acreditar que
Tudo o que eu fiz foi me iludir
Estou tão farto destes dias
E de continuar assim

(oh, oh) É hora do show (hora do show)
Meninas peguem as coisas
Gucci Fendi Louis Vuitton
Chanel também, me dê mais
Tudo sem atrasar, o nome tem um preço
Quanto você vale?
Gucci Fendi Louis Vuitton
Chanel, sem eles eu não posso medir o tempo

Nascido na potência japonesa, acha que pode mudar alguma coisa cantando?
Ondas furiosas que chamamos de realidade
O que eu aprendi é que "A vida é ganhar ou perder"
Vou fazer antes que você faça?
Vai se acostumar a ser apenas um perdedor?
Todas as noites, por que não termina isso?
Hoje também não há tempo suficiente

Machucando e dizendo que é apenas ansiedade
Reclamar e invejar outra pessoa
Mesmo que esteja sorrindo
A verdade é que eu não entendo mais
Eu me odeio quando eu estou deprimido
Amizade superficial, eu não preciso disso
Não me importa o quanto que valho
Estou farto de emoção, eu não preciso disso

Oh...
Mas eu estou tentando voar
Me perdi
Quando corria atrás dele,
Mas eu não consegui alcançá-lo
Tudo que tenho feito é esconder a minha auto piedade
E continuar mentindo
Mas eu não poderia dizer que...

As histórias
Que uma vez eu disse que foram revestidas
Endurecidas
Eu construí as paredes
e ficaram enormes para me proteger.
Por que me sinto seca?
Eu encontrei a felicidade.
Mesmo que eu nunca possa amar de novo.

Nesta escuridão interminável
Não importa o quanto
E como
Eu grito bem alto
Eu percebi que
Tudo foi inútil
Mas eu não posso parar

Mas eu ainda tenho um sentimento
Eu posso ser um livre um dia
E é por isso que eu estou cantando
Não importa o quanto
Eu fique de mau humor
Eu ainda posso rir
E apenas olhar para a frente.

10 meses...

Mais uma madrugada estranha e insone. E eu aqui, vampirando na net, lendo um livro esquisito, escrevendo mais um post deprimente. Pensando nas coisas, remoendo e remoendo e remoendo e tendo pensamentos sombrios até ser devorado por um pessimismo que não se vai.

10 meses neste país, e ainda tenho aquela estranha sensação de que a casa esta caindo toda pra cima de mim. É como se de repente não possuir mais a capacidade de saber quem tá certo ou errado, com quem posso contar, aonde ir, o que fazer, ou seja, praticamente tudo esta virado de pernas para o ar, até o jeito como a droga deste mundo funciona. Poucas coisas da qual costumava achar que tinha certeza, se mantém. Perdi todas as malditas referencias. Até poderia jogar a toalha e voltar rapidinho para o Japão, como das outras milhares de vezes, mas estou cansado de desistir assim tão fácil, então por enquanto pretendo ficar aqui até entender tudo isso e achar umas respostas que me satisfaçam, quem sabe assim tudo acabe se ajeitando.

De qualquer maneira, por ora, tô muito bem: tenho um quarto, um livro para ler, computador, e até uma garrafa de Jonhy Walker Red Label pela metade. Só me falta mesmo uma luz, um empurrãozinho (que não seja para o precipício), aí quem sabe…

segunda-feira, 6 de dezembro de 2010

Persistência



Não encontrei ainda. Tá foda. Mas continuo na busca de algo aqui no Bananão. Teimoso e besta como este bichano.